Pesquisas

(2012 -2015) - As revistas eletrônicas brasileiras de Geografia: Difusão do conhecimento e acesso aberto na Geografia em Rede 

Este projeto tem por objetivo analisar, através das revistas eletrônicas de acesso aberto na Geografia em Rede - usuárias do Open Journal System, a difusão do conhecimento, o impacto e as tendências dessa produção nas instituições acadêmicas (Universidades, Faculdades, Institutos e Departamento), refletindo como estas estão articuladas à produção das linhas de pesquisa e ao ensino da geografia. Financiamentos: FAPERJ, Bolsa Prociência. (Em andamento)

(2010 -2012) - A Geografia do Ciberespaço nas Redes Acadêmicas de Geografia

Este projeto de pesquisa tem por objetivo contribuir para estabelecer as bases teóricas e metodológicas para institucionalização da Geografia do Ciberespaço, como subárea da Geografia, que vem trabalhando com mapeamentos e arquitetura de redes (Geografia das redes) e que investiga o ciberespaço para a difusão do conhecimento da Geografia na sociedade (Geografia em rede). Dentro do enfoque teórico metodológico da Geografia das redes, será analisada a implantação das Redes Comunitárias de Ensino e Pesquisa (Redecomep) nas cidades de Fortaleza, Curitiba e Porto Alegre. Dentro do enfoque teórico metodológico da Geografia em rede, serão analisados a apropriação e o uso para organização do trabalho científico e para articulação de ações colaborativas, educacionais e sociais no Brasil e em Barcelona. Para a análise da difusão do conhecimento científico na área de geografia, serão pesquisadas 60 revistas eletrônicas e online com o objetivo de verificar as tendências e rumos nas temáticas mais debatidas nessas revistas. Para a análise da apropriação e do uso, serão pesquisados sítios de entidades e instituições, redes sociais e acadêmicas, espaços públicos eletrônicos (listas), blogs, cursos e materiais didáticos, banco de dados e bibliotecas virtuais. Os resultados deste trabalho se concretizarão através de: publicação de um livro que dará subsídios para a consolidação dessa subárea na Geografia; publicação de artigo em livro; apresentação e publicação de trabalhos em anais de eventos nacionais e internacionais e consolidação de um grupo de pesquisa internacional, incluindo o Brasil, através da UERJ. Financiamentos: CAPES/Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Bolsa de Pósdoutorado na Universitat de Barcelona. (Concluída em 2012)

(2008 - 2011) - Governança Global da Internet: A representação de topônimos de países no ciberespaço 

Este projeto de pesquisa que tem como tema Governança Global da Internet: A representação de topônimos de países no ciberespaço , representa um novo campo de estudo e pesquisa na área de Geografia, do Programa da Pós-Graduação Mestrado em Geografia do Instituto de Geografia da UERJ. A Governança da Internet - GI representa um conjunto de iniciativas e ações construtivas, concebidas pelos governos, setores públicos, setores privados e por organizações da sociedade civil, para estabelecer uma estrutura de regulação global, que promova os desenvolvimentos científicos, territoriais, econômicos e sociais da Internet entre países e não apenas de seus topônimos. A questão da GI tem implicações, em todos os aspectos, no desenvolvimento futuro da Internet, tendo em vista que esta abrange uma gama variada de temas não apenas vinculados à questão do desenvolvimento tecnológico, mas também as questões políticas, que dizem respeito à soberania, segurança, geografia, geopolítica, economia, educação, cidadania, privacidade, liberdade de expressão, etc. Portanto, o objetivo geral deste projeto é contribuir para consolidar a Geografia brasileira, no rol das ciências que se dedicam a investigar a GI e o ciberespaço. Para dar conta deste desafio, pretende-se: efetuar um levantamento sobre as pesquisas, na área de Geografia, sobre a GI e seus impactos na composição das atividades econômicas e na transformação das estruturas territoriais em estruturas virtuais de acumulação; investigar como se dá à representação dos países no modelo atual de GI e como se fará o registro geográfico dos nomes dos países a partir de um novo modelo de GI; analisar quais são os instrumentos reais de decisão dos países na concepção do sistema raiz da GI; examinar como se formou e se instituiu a autoridade política da representação dos países na GI; analisar como ocorre o controle privado do sistema de atribuição de DNS entre os países; investigar como a GI unilateral corporativa impossibilita a formação. Financiamentos: CAPES/FAPERJ, Bolsa Prociência. (Concluída em 2011)

Produção articulada ao projeto:

Artigo 1 - Governança Global da Internet: A representação de topônimos de países no ciberespaço. Publicado no X Coloquio Internacional de Geocrítica, em 2008, Barcelona.

Artigo 2 - Gestão dos Sistemas de Zona Raiz e de DNS no Ciberespaço: Impasses e Controvérsias. Publicado no XII Encontro de Geografos da America Latina - XII EGAL, em 2009, Montevideo.

Artigo 3 - A Nova Geografia das Redes no Ciberespaço: Impasses na localização geográfica dos servidores da zona raiz da Internet. Publicado no VIII Encontro Nacional da ANPEGE, em 2009, Curitiba.

(2005 - 2008) - Estruturas Virtuais de Acumulação e Ciberespaço: A produção morfológica do ciberespaço e a apropriação dos fluxos informacionais no Brasil 

Este projeto de pesquisa representa um novo campo de estudo e pesquisa na área de Geografia e faz parte da linha de pesquisa: "Ciberespaço e Sociedade da Informação", sob minha coordenação no Mestrado de Geografia da Universidade do estado do Rio de Janeiro - UERJ. Esta linha de pesquisa "Ciberespaço e Sociedade da Informação" já é objeto de estudo em várias universidades dos EUA e da Europa. No entanto, no Brasil, as duas únicas universidades que já introduziram esta linha de pesquisa na área de Geografia foram a UERJ, através do Curso de Mestrado de Geografia, e a USP, através do Curso de Doutoramento, e a Fundação CEDERJ, através de seus Cursos de Extensão. Vale salientar que outras área do pensamento científico brasileiro, principalmente a Sociologia, estão pesquisando os impactos sociais e culturais do Ciberespaço. Financiamentos: National University of Ireland, UERJ, CAPES/FAPERJ, Bolsa Prociência. (Concluída em 2008)

Produção articulada ao projeto:

Artigo 1 - Ciberespaço, Migração Digital e Acesso Livre à Internet: O caso das Redes 'Wi-Fi' Municipais Brasileiras. Publicado no IX Colóquio Internacional de Geocrítica, em 2007, Porto Alegre.

Artigo 2 - Ciberespaço e Regulamentação das Estruturas Virtuais de  Acumulação no Brasil: A Institucionalização da Internet e das Relações de Comércio Eletrônico. Publicado no XI Encontro de Geografos da America Latina - XI EGAL, em 2007, Bogotá.

Artigo 3 - O Ciberespaço  como  Estrutura  Virtual  de Acumulação:  A expansão  do  comércio eletrônico no Brasil. Publicado no VI Encontro Nacional da ANPEGE, em 2005, Fortaleza.

Artigo 4 - A produção morfológica do ciberespaço e a apropriação dos fluxos  informacionais no Brasil. Artigo publicado no VII Coloquio Internacional de Geocrítica,  em 2005, Santiago.

Artigo 5 - Estruturas virtuais de acumulação e cibercidades. Publicado na Revista Scripta Nova-REVISTA ELECTRÓNICA DE GEOGRAFÍA Y CIENCIAS SOCIALES, em 2004, Barcelona.

Capítulo de Livro - Digital migration and regulation of the virtual structures of accumulation in Brazil. In: Growth and Crisis: Social Structure of Accumulation Theory and and Analysis. Edited by: Terrence McDonough, Michael Reich, David M. Kotz and Maria-Alejandra Gonzalez-Perez, em 2006, Galway.

(2004-2010) - Inclusão digital e ambiente virtual para o ensino de Geografia com suporte de software livre

A temática desse trabalho representa um novo campo de estudo e pesquisa na área de Geografia e faz parte da linha de pesquisa: Ciberespaço e Sociedade da Informação, no Mestrado de Geografia da UERJ. O objetivo deste trabalho é evidenciar como estão sendo empreendidas as políticas públicas de democratização e inclusão digital no ciberespaço; analisando a interferência inovações tecnológicas no ensino de Geografia; na composição das atividades econômicas e na transformação das estruturas territoriais em estruturas virtuais de acumulação, que vem possibilitando a consolidação de uma geografia de rede e nós. Através dessa análise pode-se apreender que a expansão da rede mundial de computadores é um processo que interfere e altera as novas formas de composição do capital dos lugares, cidades e regiões, que possuem fluxos e conexões em rede. Esta composição está permitindo, no ciberespaço, a formação de espaços de comando e de administração dos fluxos de informação. Financiamentos: FAPERJ, Bolsas do Programa Pró-iniciar. (Concluída em 2010)

Produção articulada ao projeto:

Artigo 1 - A Geografia da Internet e do Ciberespaço na América Latina. Publicado no 10º Encontro de Geógrafos da América Latina, em 2004, São Paulo.

(2002-2008) - Reestruturação inovativa e desregulamentativa dos bancos no Brasil

Analisar os impactos sociais dos processos de desregulamentação do setor financeiro brasileiro, as privatizações, o aumento da participação do capital financeiro, a reestruturação inovativa no emprego e nas relações de trabalho assim como as consequências sociais de todo este processo. Procurando verificar as alterações e os impactos de tais processos nas relações de trabalho e no emprego bancário. Financiamentos: CAPES/FAPERJ, Bolsa Prociência. (Concluída em 2005)

Produção articulada ao projeto:

Artigo 1 - Liquidações Extrajudiciais, Privatizações e Globalização Financeira no Brasil: A crise do setor público financeiro na era do Real. Publicado na Revista Ciência Geográfica Nº15, em 2001, Bauru.

Artigo 2 - Reestruturação Inovativa e Reorganização das Instituições Financeiras do Setor Privado no Brasil. Publicado na Revista Geouerj Nº 02, em 1997, Rio de Janeiro.

(1997 -2000) Tecnologia da informação aplicada ao ensino de Geografia 

Este projeto se destina a preparar, com o uso de Tecnologias de Informação e de Comunicação, ambientes virtuais (sítios, páginas) na internet; plataformas; cursos de atualização e educação continuada, para a área de Geografia, dirigidos a professores da rede pública. Financiamentos: CAPES/FAPERJ, Bolsa Prociência. (Concluída em 2000)

Produção articulada ao projeto:

Artigo 1 - Universidade, Políticas Públicas e Novas Tecnologias Aplicadas à Educação a Distância. Publicado na Revista Advir Nº 14, em 2001, Rio de Janeiro.

Artigo 2 - Ead e Ensino de Geografia: A Política da Escala e a Escala da Política. Publicado no X Encontros de Prática de Ensino de Geografia (ENPEG), em  2009, Porto Alegre.

Capítulo de Livro - Actualización de Professores de Geografia en Brasil vía internet: La experiéncia del curso “Globalización, Mitos y Realidades en Debate en Geografía”. Capítulo publicado no livro de  Mira Mira, J. (director). Conocimiento Metodo y Tecnologias en la Educación Distancia, em 2000, Palencia.

(1997 - 2000) - Tecnologia de informação aplicada à criação de ambientes e plataformas tecnológicas 

Disseminar através da internet um conjunto de ferramentas e cursos estruturados por textos e imagens gráficas sob a forma modular, com modelos de suporte de acompanhamento e avaliação que permitam a interação, a ampliação e a atualização do escopo do conhecimento sobre tópicos relacionados às Geociências e a outras temáticas multidisciplinares vinculadas, com o propósito de abrir novas formas de intercâmbio com universidade no exterior que já utilizam a internet, possibilitando informações sobre professores, cursos, disciplinas, softwares educacionais (Moodle), inscrições para eventos, acesso a bibliotecas internacionais, publicações e palestras de grupos de pesquisa. Apoio e financiamento: UERJ, FAPERJ. (Concluída em 2000)

Produção articulada ao projeto:

Artigo 1 - Internet, Software Livre e Exclusão Digital: Impasses e opções no desenvolvimento de políticas públicas de alcance social no Brasil. Publicado na Revista Geouerj Nº 12, em 2002, Rio de Janeiro.